terça-feira, 9 de dezembro de 2008


Quantas vezes

Quantas vezes me iludi
Quantas vezes me aborreci
Quantas vezes estremeci
Minhas bases por acreditar
Em sonhos de amor
Em palavras com sabor
De reais,engano cruel
De quem nunca amou
Só soube enganar
Alguem cujo erro
Foi sómente acreditar
E se deixar amar
E hoje estou aqui
Vivo a me arrastar
Sem poder me levantar
Apenas tentando entender
Porque essas coisas acontecem
Maltratando tanto meu ser

Anjopoesia

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela visita, deixe um comentário que vou interagir assim que ler...Obrigada

Calar-se

Calar-se        Falar por vezes  pode machucar Acaba-se  falando o que não se quer dizer... Falar..   pode não ser aque...